Make your own free website on Tripod.com

Meios de Locumoção Aquáticos

Porta-aviões

Home
Principais Caracteristicas
Submarinos
Petroleiros
Cruzeiros
Porta-aviões
Hall of Fame
Barcos Históricos

aa43.jpg

Um porta-aviões é um navio de guerra cujo papel principal é servir de base aérea móvel. Permite, portanto, que uma força naval possa projectar o seu poderio aéreo a grandes distâncias, sem necessitar depender de bases terrestres (fixas) para os aviões. As Marinhas modernas, que operam estes navios, consideram os porta-aviões como a peça central da frota; papel que era desempenhado anteriormente pelo navio de guerra. Esta mudança, parcialmente atribuída à intensificação da guerra aérea, iniciou-se na Segunda Guerra Mundial. Os porta-aviões sem escolta são considerados vulneráveis a ataques de mísseis e, consequentemente, navegam em grupos de navios.

Os porta-aviões são, geralmente, os maiores navios operados pela Marinha. Um porta-aviões da classe Nimitz com dois reactores nucleares e quatro turbinas de vapor mede cerca de 333 m (1092 ft) de comprimento e custa cerca de $5 biliões. Os Estados Unidos da América constituem o país com mais porta-aviões, com mais de uma dúzia em serviço, representando um símbolo da projecção do país como potência militar.

Apenas nove países mantêm porta-aviões: Estados Unidos, França, Índia, Rússia, Espanha, Brasil, Itália, Tailândia, e Reino Unido. A Marinha da República da China (Marinha das Forças Armadas de Salvação Popular) dispõe ainda do porta-aviões Varyag da antiga URSS, embora exista um consenso por parte dos analistas navais acerca da sua intenção de o utilizar. Porém, estão, aparentemente, a usar o Varyag para compreender as operações navais com este tipo de navios para um futuro porta-aviões chinês.